Política

Canais bolsonaristas investigados pelo STF faturaram R$ 647 mil no YouTube, estima consultoria

No topo de faturamento estão os canais Foco do Brasil e Folha Política, que arrecadaram respectivamente R$ 196 mil e R$ 164 mil

[Canais bolsonaristas investigados pelo STF faturaram R$ 647 mil no YouTube, estima consultoria]
Foto : José Cruz/Agência Brasil

Por Luciana Freire no dia 05 de Julho de 2020 ⋅ 09:00

 

Investigados no STF no inquérito dos atos antidemocráticos, 12 canais bolsonaristas de YouTube faturaram ao menos R$ 647 mil nos últimos três meses com a ferramenta de monetização de anúncios da plataforma. O levantamento é da consultoria Quaest, a informação foi divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo.

A estimativa leva em conta o dólar a R$ 5,45 e as métricas informadas pelo próprio YouTube. 

No topo de faturamento estão os canais Foco do Brasil e Folha Política, que arrecadaram R$ 196 mil e R$ 164 mil respectivamente. Os canais “O Giro de Notícias” e “Terça Livre” tem ganhos estimados em R$ 95 mil e R$ 64 mil só no YouTube.

Militante bolsonarista, presa em operação da PF relacionada à investigação, Sara Winter faturou R$ 4.400 no período. O jornalista Oswaldo Eustáquio, que segue preso, levou R$ 13,5 mil.

O inquérito mira participantes de atos em apoio à intervenção militar e busca rastrear como os grupos se financiam para propagar ideias antidemocráticas.

O YouTube diz, em nota, que não comentará a investigação, que está sob sigilo. Sobre a publicação de manifestações antidemocráticas, afirma que “quando não há violação à política de uso do produto, a decisão final sobre a necessidade de remoção do conteúdo cabe ao Poder Judiciário, de acordo com o que estabelece o Marco Civil da Internet”.

Notícias relacionadas