Política

Falas de Bolsonaro contra isolamento podem ter matado mais seus eleitores, aponta estudo

Segundo pesquisa, em locais onde Bolsonaro teve mais votos, o isolamento tem sido menor, enquanto o número de óbitos é maior

[Falas de Bolsonaro contra isolamento podem ter matado mais seus eleitores, aponta estudo]
Foto : Isac Nóbrega/PR

Por Juliana Rodrigues no dia 01 de Julho de 2020 ⋅ 09:40

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal do ABC (UFABC), da Fundação Getúlio Vargas e da Universidade de São Paulo indica que o discurso negacionista do presidente Jair Bolsonaro na pandemia de coronavírus pode ter contribuído para matar principalmente seus eleitores. A informação é da Folha.

Em praticamente todas as ocasiões em que o presidente minimizou a pandemia, a taxa de isolamento social no Brasil diminuiu. Ao mesmo tempo, mais pessoas morreram, proporcionalmente, nos municípios que mais votaram em Bolsonaro em 2018.

O estudo “Ideologia, isolamento e morte: uma análise dos efeitos do bolsonarismo na pandemia de Covid-19” sustenta que a votação do presidente no primeiro turno, por município, tem correlação negativa com a taxa de isolamento; e correlação positiva com mortes por Covid-19. Ou seja: em locais onde Bolsonaro teve mais votos, o isolamento tem sido menor —e o número de óbitos, maior.

Além dos votos no presidente em 2018, o levantamento analisou os efeitos diretos sobre mortes das votações de José Serra (PSDB), em 2010, e Aécio Neves (PSDB), em 2014. Mas só houve correlação positiva em relação à eleição que levou Bolsonaro à presidência.

Notícias relacionadas