Política

Moro foi sondado para Ministério da Justiça antes do resultado do 2º turno, diz Bebianno

Em entrevista ao canal do jornalista Fábio Pannunzio, ex-ministro afirmou que Paulo Guedes teve "cinco ou seis conversas" com o ex-juiz

[Moro foi sondado para Ministério da Justiça antes do resultado do 2º turno, diz Bebianno]
Foto : Valter Campanato/Agência Brasil

Por Juliana Rodrigues no dia 18 de Novembro de 2019 ⋅ 15:05

Antes do resultado das eleições, o ex-juiz Sérgio Moro teria sido sondado pelo atual ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a possibilidade de chefiar a pasta da Justiça e Segurança Pública. A informação foi dada pelo ex-ministro da Secretaria Geral, Gustavo Bebianno, em entrevista ao canal do jornalista Fábio Pannunzio.

Segundo Bebianno, inicialmente, a ideia era que ele mesmo fosse o ministro da Justiça, mas houve uma mudança de planos. "O tempo passou e aí veio o dia do segundo turno, domingo, na casa do Jair. (...) O Paulo Guedes estava na sala, me puxa, me chama, e fala assim: 'Bebianno, eu quero conversar com você um negócio importante'. E foi a primeira vez que o Paulo Guedes mencionou que estava conversando com o Sergio Moro. Ele me contou que já tinha tido cinco ou seis conversas com Sergio Moro, e que Moro estaria disposto a abandonar a magistratura e aceitar esse desafio como ministro da Justiça. (...) Nós apertamos as mãos e combinamos o seguinte: se o Moro realmente vier, não tem problema nenhum. Isso no domingo à tarde, antes do resultado", disse.

Ao mesmo tempo, Bebianno frisou que Moro não tinha contato direto com o presidente Jair Bolsonaro. "Até onde eu sei, o Moro não tinha contato nenhum com o Jair. (...) O que houve foram algumas conversas entre Paulo Guedes e Sergio Moro, por iniciativa de Guedes, sondando o Moro para a função", afirmou.

Em junho deste ano, o jornalista Glenn Greenwald, do The Intercept Brasil, divulgou que o ex-juiz recebeu o convite antes mesmo do resultado das eleições, como consta em mensagens obtidas pelo site. Em novembro do ano passado, ao aceitar o convite de Bolsonaro, Moro admitiu que já havia sido sondado por Paulo Guedes cinco dias antes do segundo turno.

Notícias relacionadas