Esportes

Após suposta armação, Ponte Preta vai ao STJD contra o Vitória; presidente fala em 'ironia'

Clube paulista adquiriu material de entrevista de dirigente rubro-negro, que falou de uma suposta armação entre zagueiro Rodrigo e técnico Vagner Mancini

[Após suposta armação, Ponte Preta vai ao STJD contra o Vitória; presidente fala em 'ironia']
Foto : Reprodução/PFC

Por Matheus Simoni no dia 18 de Fevereiro de 2020 ⋅ 11:59

A Ponte Preta avalia ingressar com uma ação no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) contra o Vitória por conta de uma recente entrevista do presidente rubro-negro, Paulo Carneiro, onde ele cita um suposto esquema envolvendo o ex-zagueiro time paulista Rodrigo e o ex-técnico do Leão Vagner Mancini. O fato, destacado pelo dirigente, envolve a partida entre os dois times na Série A de 2017. O Vitória venceu por 3 a 2 após sair perdendo por 2 a 0 no primeiro tempo.

Na ocasião, Rodrigo foi expulso ainda no primeiro tempo após dar uma dedada no atacante do Vitória Tréllez. Em entrevista à rádio Itapoan FM, Paulo Carneiro comentou que Mancini e o zagueiro teriam combinado a armação. "Quando o treinador Vagner Mancini veio ao Vitória só faltou trazer um presidente. O resto ele trouxe: analista de desempenho, assistente que era fisiologista, etc, etc e etc. Ele mandava mais do que o presidente. Eu tenho certeza de que ele mandava mais que o presidente", declarou.

"E hoje está cobrando na Justiça R$ 1,2 milhão e já recebeu R$ 800 (mil). É a rescisão mais cara da história do Vitória: R$ 2 milhões. Ele ganhou R$ 1,3 milhão para combinar com o Rodrigo aquela dedada que salvou o Vitória em 2017. Ele ganhou R$ 1,3 milhão", emendou.

Após a repercussão da entrevista, Paulo Carneiro divulgou um áudio tentando se explicar sobre a polêmica e disse que tudo não passou de uma ironia. "Mas que coisa. Rapaz, isso é de um ridículo, sabe? Deveria mandar demitir o jornalista. A não ser que tinha sido de má intenção mesmo, né. Quem ouviu a entrevista sabe que eu fiz uma gozação, uma ironia. Como se dá um premio de R$ 1,3 milhão a um treinador e depois o Vitória não caiu por causa da dedada de Rodrigo em Tréllez", respondeu o presidente. "Isso todo mundo sabe. É público. O Vitória tomava 2 a 0 da Ponte Preta e estava abatido, vencido e rebaixado. E eu fiz uma ironia entre a dedada de Rodrigo e o valor absurdo que deram a Vagner Mancini. Aí o cara deduziu que era uma armação", conclui.

Ciente dos áudios divulgados em Salvador, a Ponte Preta promete apuração rigorosa sobre o assunto. A informação foi confirmada pelo jornalista Lucas Rossafa, do portal Futebol Interior. A diretoria do clube paulista já tem em mãos o áudio completo da entrevista de Paulo Carneiro. A Macaca entende que a denúncia é grave e que é preciso uma apuração rigorosa em relação aos fatos. A partir desta terça-feira, a Ponte acionou o departamento jurídico do time, que promete 'reunir a papelada' e vai acionar, nos próximos dias, a Procuradoria do STJD e o Ministério Público.

Notícias relacionadas