Cidade

Associação de moradores protocola queixa contra Semop por omissão a Blue Praia Bar

De acordo com a presidente da Associação, Hellen Schommer, o que motivou este novo movimento da entidade foi o incômodo causado pelo som alto do estabelecimento

[Associação de moradores protocola queixa contra Semop por omissão a Blue Praia Bar]
Foto : Reprodução / tripadvisor

Por João Brandão no dia 14 de Fevereiro de 2020 ⋅ 16:40

A Associação dos Moradores da Rua do Barro Vermelho (Amobarrovermelho) protocolou, no final da tarde de ontem (11), uma nova queixa junto à Ouvidoria Geral do Município de Salvador contra a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop). O documento denuncia a suposta omissão da Semop em relação ao estabelecimento de luxo Blue Praia Bar, às margens da Praia do Buracão que, segundo a acusação, frequentemente causa transtornos aos moradores das casas e prédios vizinhos. Desde 2014, a associação é parte interessada em um processo que envolve o empreendimento e a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo.
 
De acordo com a presidente da Associação, Hellen Schommer, o que motivou este novo movimento da entidade foi o incômodo causado pelo som alto emitido por DJs e bandas durante os eventos integrantes da programação de verão do bar, que vem sendo promovida desde o final do ano passado.

“Os moradores se sentem obrigados a deixar a própria casa nos dias em que o bar promove festas, pois o barulho se torna insuportável, impossibilitando inclusive conversas com parentes e amigos dentro das próprias residências. Além disso, essas situações vêm afetando o sossego de idosos e até mesmo bebês que moram ou frequentam a nossa rua”, afirmou a presidente.
 
Episódios como os ocorridos sucessivamente nos últimos meses - que desrespeitam a lei do silêncio 5354/98 e a lei da perturbação do sossego 3.688/41 - são denunciados rotineiramente pelos moradores e já foram testemunhados, inclusive, por técnicos da Semop, que chegaram a fazer medições dos decibéis, comprovando a conduta abusiva do empreendimento, mas, na oportunidade, não emitiram nenhuma notificação formal ao empreendimento, “o que caracteriza, por si só, a omissão do órgão”, declarou Hellen.
 
Além do incômodo sonoro, os moradores se queixam de problemas como a quantidade de lixo massiva colocada na via, após os eventos no local, e por conta do grande fluxo de carros na rua, ocasionado pela falta de uma garagem privativa pertencente à estrutura do estabelecimento. Vale salientar que a Rua do Barro Vermelho é sem saída e, antes da chegada do Blue Praia Bar, era totalmente residencial. “São 200 residências distribuídas por apenas 300 metros e o local que é ocupado hoje pelo empreendimento também era uma casa antes. O trânsito se tornou caótico e até as regras de carga e descarga são desrespeitadas, inclusive com caminhões manobrando em locais inapropriados e parando em cima da calçada”, descreveu.

Notícias relacionadas

[Carnaval de Salvador bate recorde de público]
Cidade

Carnaval de Salvador bate recorde de público

Por Metro1 no dia 24 de Fevereiro de 2020 ⋅ 20:00 em Cidade

De acordo com balanço da Saltur, festa teve aumento no número de foliões comparado ao mesmo período do ano passado